Sono, meditação e alimentação estimulam a memória
Sono, meditação e alimentação estimulam a memória

















A imensa quantidade de informações com que somos obrigados a lidar todos os dias torna a nossa memória cada vez menos confiável. Para lidar com compromissos e tarefas, somos obrigados a fazer uso cada vez maior de ferramentas e softwares, mas alguns, como eu, insistem em abrir mão dessas ferramentas e preferem confiar somente na memória, o que pode ser perigoso (esse artigo, por exemplo, era para ter sido publicado ontem).
Mesmo assim, existem algumas formas de melhorar a performance dos neurônios, como ensina o site Cérebro Melhor (www.cerebromelhor.com.br) que é especializado em jogos online para treinamento cerebral. O site enumera cinco cuidados que contribuem para melhorar a memória.
1) Sono – O sono há tempos foi identificado por cientistas como o estado em que nossos corpos otimizam e consolidam novas informações adquiridas e as armazenam como memória. Um novo estudo na Nature Reviews Neuroscience fornece mais evidência de que um sono adequado é um ingrediente chave na melhora da memória.
2) Alimentação – É sabido que uma alimentação ruim afetará negativamente sua memória. Existem fortes evidências científicas que uma dieta rica em Omega-3, vitamina B e antioxidantes é importante para a saúde do cérebro.
3) Relaxamento – Desestressar e meditar são também maneiras cientificamente aceitas de melhorar sua memória. Num estudo muito divulgado sobre meditação, uma forte argumentação foi feita de que a prática diária da meditação engrossa as partes do córtex cerebral responsáveis pela tomada de decisão, atenção e memória.
4) Exercícios Físicos – Um estudo recente da Universidade da Pennsylvania sobre exercícios e memória descobriu que pessoas que praticavam rotineiramente exercícios com atenção mostraram melhorias mensuráveis em “desempenho cerebral”. Um dos autores do estudo relatou que “Memória de trabalho é uma característica importante do desempenho cerebral. Não apenas protege contra distração e reações emocionais, mas também oferece um espaço mental para garantir decisões e planos de ação rápidos e raciocinados. Desenvolver desempenho cerebral por meio de um treinamento com atenção pode ajudar qualquer um que precise manter um desempenho de ponta face a circunstâncias extremamente estressantes.”
5) Estímulo Cognitivo – Finalmente, não é nenhum segredo que participar regularmente de treinamento cerebral ajuda a melhorar a memória. Num estudo publicado pelo Dr. Bernard Croisile sobre jogos que estimulam o cérebro, os resultados dos usuários foram analisados após completarem 500 exercícios ao longo de 18 semanas. Na média, esses usuários melhoraram sua memória em 13,9%, com aprimoramento geral de 15,6% nas habilidades cognitivas.